quarta-feira, 18 de maio de 2011

18 de maio, Dia Nacional contra a Exploraçao Sexual Infantil

Dia Nacional contra a Exploraçao Sexual Infantil

A exploração sexual infantil é um mal terrível que assola a vida de muitas crianças e as pesquisas e estudos mostram que não importa a classe social, a raça ou o nível de escolaridade. De acordo com a Associação Brasileira Multiprofissional de Proteção à Infância e à Adolescência, somente cerca de 10% a 20% dos casos de abuso contra crianças e adolescentes são registrados
O Estatuto da criança e do adolescente declara que a segurança, o conforto e a proteção é um direito   constituído, mas sabemos que nem todos usufruem desses bens tão valiosos. Embora cercada de tanta proteção, amor, e carinho, a criança, na sua inocência, vive num mundo desprotegido e frágil, até porque ela mesma não consegue enxergar tantos perigos à sua frente. Seu mundo  é de brincadeira, fantasia, imaginação, alegria. Tudo acontece  em silêncio e em forma de segredos, elaborados em detalhes pelo explorador que de tão bom, nunca parece mau. A ação geralmente vem acompanhada de presentes e carinhos, coisas que  atraem a criança e, sem perceber, inocente que é, cai na teia do opressor. Com medo de ser descoberto, o agressor,  utiliza diversas artimanhas: apela para a confiança ( este é  um segredo só nosso, ninguém pode saber) ameaças frequentes ( se você contar, todo mundo vai se afastar de você e sua mãe vai te deixar) palavras de castigo e até de morte (se alguém souber disso, eu te bato até você morrer) ,promessas de muitos presentes ( sabe aquele brinquedo legal? Vou comprar um pra você!)
O mais incrível é que as estatíticas afirmam que a maioria dos casos acontecem onde a segurança mais deveria  existir: dentro de casa. E o pior, o agressor geralmente é uma pessoa muito próxima: pai, padrasto, tio, avô, irmão, vizinho etc. 
A criança que sofre algum tipo de abuso, sendo sexual ou outro, se isola e começa agir de forma diferente tendo uma mudança brusca no seu comportamento. Ela necessita de uma ajuda muito especial, é preciso resgatar a auto-confiança da mesma , ela precisa perder o medo, ser amada e respeitada. Para ajudá-la melhor, é preciso informar-se em como atendê-la e orientá-la. Família e Escola precisam juntar as mãos em prol da defesa pelos direitos  dessas crianças, cobrar da justiça penalidades severas e justas aos agressores que muitas das vezes continuam impunes e livres procurando outra vítima. Nossas escolas podem promover mais ações que envolvam e orientem as famílias tais como: palestras, debates, seminários e encontros de pais. Sabemos  que a sociedade tem se preocupado em falar sobre esse assunto, mas ainda é considerado muito pouco. 
Jesus certa vez afirmou: Deixai vir a mim os pequeninos e não impessais, porque dos tais, é o reino de Deus( Marcos 10-13) Ele também declarou que quem não for como criança, não poderá morar no seu reino. Jesus estava nesse momento afirmando que a criança tem a inocência necessária para a vida, e nós precisamos preservar essa pureza. O que ela quer de nós ? Que se sinta protegida, amada e respeitada.  Não seja condizente com esses abusos. CUIDE, PROTEJA, DENUNCIE . Diga não à Exploração Infantil.

Raimundo Soares de Andrade é Pastor e
Prof-Coordenador da Escola Est. Eunice Souza dos Santos
Em Rondonópolis-Mt

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário